‘’SALUZINHO’’, A VERDADEIRA HISTÓRIA DO HOMEM QUE REFUGIU NUMA CAVERNA PARA SOBREVIVER DAS GARRAS DA DITADURA.

“Onde é que está a verdadeira lâmpada de Deus, a lisa e real verdade”? “Guimarães Rosa”.
A pergunta que se faz, é, até que ponto a justiça ou a falta dela muda o destino de uma pessoa? Tirando-as dos anonimatos e transformando-se em justiceiros, heróis ou bandidos. O estado de necessidade a lutar para sobreviver e às vezes o desejo de satisfazer o seu próprio ego as trazem para fazer parte da historia. Foram assim com Vergulino o Lampião, com Antônio Dó e com Saluzinho, todas pelas mesmas causas a reintegração da posse de terras as lutas contras os grileiros e os latifundiários em nosso país. E em Minas Gerais não foi diferente. Antônio Dó viveu com os seus familiares na cidade de São Francisco MG que leva o mesmo nome do rio. A luta pela posse de terra e as injustiças, fizeram de Antônio Dó em um destemido jagunço. Agora em Varzelândia a historia repete com Salustiano Gomes Ferreira o Saluzinho este franzino homem de rosto tigreiro. Que foi obrigado a se refugiar dentro de uma caverna no ano de 1968 que veio há ficarem vários dias sem comer, sem beber e sem dormir sendo bombardeado pelo um contingente militar. O Brasil vivia uma ditadura militar e qualquer tipo de manifestação ou episódio como esse de Saluzinho era taxado de subversão da ordem. Várias pessoas foram presas entre elas estava dona Dulcia esposa de saluzinho, ela foi brutalmente tortura teve os bicos dos seios queimados com pontas de cigarros, foi colocada nua de cabeça para baixo em uma arvore introduziram uma vara no ânus e apanhou a até sangrar o corpo. Suas crianças foram abrigadas a comer no chão com terra e sangue. Meses depois do triste episódio, em consequência das torturas de que foi vítima, dona Dulcia, com apenas 42 anos de idade, faleceu nas mãos do médico Pedro Martins. Saluzinho saiu da caverna quando foi lhe assegurado sua integridade física. Ele foi preso pelo DOPS como preso politico. Saluzinho viveu seus últimos anos de vida na cidade de Itacarambi MG faleceu em 1990. Eu conheci o Sr Saluzinho e convivi a minha adolescência ao lado os seus parentes entre eles seu João Gomes e Dona Flôr e seus filhos.
Manoel Camandaroba.